Show de tecnologia no processamento do vidro

Forvet Francesca continua sendo vedete das transformadoras de vidros, mesmo após mais de duas décadas de seu lançamento.

Transformadores de vidros que já visitaram ao menos uma feira internacional do setor têm um nome na mente que é imediatamente associado a alta tecnologia. Esse nome é Francesca. Poucos sabem, entretanto, que já se passaram mais de duas décadas desde que o primeiro protótipo da Francesca 1250, primeira furadeira do mundo dotada de controle numérico (CNC) foi criado.

No Brasil, os transformadores de vidros que possuem tal equipamento e suas versões posteriores, costumam mostrar aos visitantes de suas fábricas a engenhosidade da máquina como uma atração especial. Em especial o sistema de troca de ferramentas , que representa um show à parte.

Desde o lançamento da primeira versão, entretanto, a Forvet continuou investindo ano a ano na melhoria dessa solução, sempre mantendo seu aspecto compacto, que é um de seus trunfos. A versão mais compacta da Fracesca é o modelo FC 1250 H.O, que representa a sintese da tecnologia acumulada da Forvet em um equipamento compacto e muito eficiente.

A Francesca FC 1250 H.O. permite operações de furação, fresagem e escariamento em chapas planas de vidro com espessuras que variam de 3 a 25 milímetros, também com formas irregulares. As operações de perfuração podem ter um diâmetro máximo de 70 milímetros com diâmetros maiores, alcançados pelo recurso de fresamento. A dimensão máxima de furação possui uma largura máxima de 1.250 milímetros e não possui limites de comprimento. Apesar de possui curso de furação de 1250 mm pode-se elaborar peças de larguras acima desta medida.

Além disso, não há restrição entre eixos entre as posições dos furos. O ciclo de trabalho é totalmente automático e, portanto, não requer nenhuma intervenção manual, o avanço da velocidade e a rotação dos fusos são automáticos.

Demonstração realizada na fábrica da Forvet

Fechar Menu